top of page

PENSAMENTOS AUTOMÁTICOS E COMO ELES INTERFEREM NA SUA VIDA

Atualizado: 28 de jul. de 2022

Entender o que são esses pensamentos e como identificá-los pode te ajudar a mudar suas emoções e comportamentos.


Os pensamentos automáticos são frases ou imagens que passam rapidamente por nossas mentes quase o tempo todo. Em geral, estamos tão acostumados com eles que não prestamos atenção ao seu conteúdo. Sendo assim, podemos nem perceber que estão ocorrendo. Eles servem para nos ajudar a interpretar a realidade de forma mais rápida. Podem estar associados às regras, e, sem perceber, agimos conforme esses pensamentos todos os dias.


Exemplos:

“devo parar quando o sinal fica vermelho”;

“devo me despedir das pessoas ao sair de um ambiente”.


Esses pensamentos são como “guias” não só para os comportamentos, mas também para as emoções. Logo, podemos estar nos sentindo ou nos comportando de determinada forma por conta de um pensamento, mesmo que não estejamos conscientes disto.


Embora possam nos ajudar a tomar decisões de forma mais rápida, os pensamentos automáticos também podem gerar problemas. Isso acontece quando eles não condizem com a realidade atual. Aí os sentimentos e comportamentos que temos a partir deles podem nos prejudicar.


Exemplo:

Pensar que não irei me divertir se for a uma festa ➡️ deixar de sair por conta disso ➡️ sentir tristeza e frustração ➡️ reforçar a ideia de que a experiência seria péssima.


Perceba que, ao não ir à festa, você impede qualquer possibilidade de se divertir, reforçando a ideia de que eventos sociais são ruins, algo que não necessariamente é verdade. Por conta de um pensamentos, você pode ter deixado de conhecer pessoas novas, dançar, se divertir.


A boa notícia é que tem como não cair nessas "armadilhas mentais": esses pensamentos podem ser reconhecidos e contestados se voltarmos nossa atenção para eles. Para te ajudar a percebê-los, fique atento as suas emoções: um dos indícios mais importantes de que os pensamentos automáticos podem estar ocorrendo é a presença de emoções fortes. Segue um exercício útil para te ajudar a identificá-los:


quando sentir uma emoção (raiva, medo, alegria...) ou alteração fisiológica (coração acelerado, começar a suar, dificuldade de respirar...), preste atenção no que você está pensando naquele momento e anote. Provavelmente foi esse pensamento que causou a emoção.


Quanto mais praticar esse exercício, maior a facilidade em percebê-los. Ter ciência dos pensamentos nos ajuda a avaliar melhor com as emoções e comportamentos.


Na Terapia Cognitivo-Comportamental, aprendemos não só a identificar, mas também modificar pensamentos disfuncionais. Essa mudança para pensamentos mais acurados com a realidade nos auxilia a substituir emoções e comportamentos que nos prejudicam por outros mais satisfatórios.



コメント


bottom of page