top of page

SERÁ QUE ESTOU DEPRIMIDO(A)?

Atualizado: 28 de jul. de 2022

Há diferenças importantes entre estar deprimido(a) ou triste. Confira quais são elas a seguir.


Primeiro, precisamos entender que sentir-se triste é natural. A tristeza é uma das emoções básicas que nos indica desconforto em relação a alguma situação ruim (perda de alguém, não conseguir algo, ser rejeitado). Ela faz com que tenhamos comportamentos mais introspectivos, como evitar contato social, deixar de lado atividades prazerosas e chorar com mais frequência. Também é a tristeza que nos ajuda a elaborar situações difíceis, aceitá-las e aprender com elas, nos permitindo seguir em frente. Nesse sentido, ela é útil e não há nada de errado em nos sentirmos tristes de vez em quando.


E não é somente a tristeza que tem um papel importante em nossas vidas: de uma maneira geral, todas as emoções tem a capacidade de motivar nossos comportamentos e nos preparar para a ação. Elas nos ajudam a elaborar e superar obstáculos – em nossas mentes e no ambiente. Pensando nisso, até mesmo as emoções consideradas “negativas”, como a tristeza e a raiva, são importantes e têm seu lado positivo. Elas precisam se manifestar, e tentar suprimi-las pode nos prejudicar.


Vimos que a tristeza é uma emoção normal e necessária. E é nesse aspecto que ela se difere dos quadros depressivos. Os sintomas da depressão são parecidos com os da tristeza, mas há diferenças em sua intensidade e duração. Quando a emoção começa a prejudicar ou impedir a realização das nossas atividades diárias (estudar, trabalhar, se relacionar...), devemos acender um sinal de alerta. Você pode estar deprimido(a) (e não apenas triste) se essas dificuldades persistirem por pelo menos 2 semanas e vierem acompanhados de outros comportamentos, tais como:


  • alterações no sono (dormir muito ou pouco);

  • humor deprimido na maior parte do dia;

  • dificuldade para tomar decisões;

  • pouco ou nenhum prazer nas atividades diárias;

  • ou alterações no apetite (comer muito ou falta de apetite).


Vale lembrar que depressão NÃO É preguiça ou falta de vontade em mudar. A depressão é uma doença, e como tal, necessita de tratamento adequado. Se você se identificou com estes sintomas ou conhece alguém que os têm, busque ou sugira um profissional capacitado (como psicólogo ou psiquiatra) para iniciar a avaliação e o tratamento.


Recapitulando: todos nós ficamos tristes de vez em quando. Porém, quando a tristeza é frequente e prejudica a nossa rotina, pensamentos e/ou relacionamentos, devemos ficar atentos.



댓글


bottom of page